Geralmente, o termo Vespas usa-se para se referir a um grupo de insetos que pertencem à ordem dos Himenópteros aculeados os quais pertencem à família Vespidae.

As espécies de Vespas da família das Vespidae mais difusas no nosso país são do gênero Vespula e Polistes:

  • Vespula vulgaris (vespa comum) esta espécie de Vespa comum forma colônias de 1000-2000 indivíduos e constrói o ninho em cavidades escondidas ou embaixo da terra tornando-se assim mais perigosas, pois facilmente se disturbam.
  • Polistes gallicus é ligeiramente menor que a Vespa comum, e o seu ninho é constituído de um só favo virado para baixo.
  • Vespa crabo (Vespão) põe o seu ninho nas cavidades das árvores, na terra debaixo dos tetos etc. É composto de muitos Favos sobrepostos e mede 30-40cm.

As Vespas são insetos do tipo eusocial característica que se encontra em poucas ordens de insetos, ou seja insetos que vivem em colônias organizadas em castas (grupos de indivíduos com atribuições diferentes)

  • Rainha (Vespas fêmeas fecundadas)
  • Zangões (machos férteis)
  • Operárias (Vespas fêmeas estéreis)

As colŏnias de Vespas têm um ciclo anual; inicia com a primavera quando as Vespas rainhas fecundadas no outono precedente, iniciam a contruir um novo ninho dando ínicio à nova colônia de Vespas com a deposição de 10-20 ovos, das quais se desenvolverá o primeiro grupo de Vespas operárias que têm a função de providenciar alimento para as larvas, constituído de substâncias proteícas , construir e alargar o ninho com novos alvéolos utilizando pasta de lenho mastigado, misturada com a saliva da qual vem formada uma substância semelhante ao Papelão e de onde deriva o sobrenome ‘Vespa Papeleira’.

Dependendo da espécie o ninho pode conter até 20.000 indivíduos.

Com o final do verão as Vespas operárias deixam de nutrir as larvas e vão em busca de frutas e substâncias doces e neste período se tornam mais agressivas até a chegada dos primeiros dias de frio quando morrem.

Sempre com o final do verão iniciam-se a formar os zangões e as fêmeas férteis, depois do acasalamento os machos das Vespas morrem, enquanto as futuras Vespas rainhas fecundadas procuram um lugar para invernar.

A Vespa rainha com toda a sua colônia de origem de Vespas operárias morrem.

As Vespas diferentes das Abelhas não produzem Cera e não têm o ferrão encurvado, podem portanto picar mais vezes e não morrer.

A picada de uma Vespa é perigosa somente àquelas pessoas sensíveis ao veneno nas quais podem provocar um choque anafiláctico.

CONTROLE

As Vespas como as Abelhas são úteis na agricultura pelo seu importantíssimo trabalho de polinização, mas sempre constroem os seus ninhos em posições perigosas para o homem, em lugares protegidos como os forros dos telhados, os cantos das janelas e das portas.

As Vespas aumentam de número no final do verão e ficam mais agressivas se são disturbadas, portanto para ter um adequado controle é preferível intervir com a desinfestação quando o ninho é ainda de pequenas dimensões no período primaveril e nas primeira horas da manhã ou da noite, sempre com adequadas proteções.

A dificuldade maior para a desinfestação das Vespas, nasce por causa da posição do ninho freqûentemente inatingível e escondido embaixo dos telhados, vigas, contêiners, e cantos das casas muito altos.

Neste caso é aconselhável senão indispensável procurar pessoal especializado.

Contate-nos sem compromisso para uma Consulta e/ou Orçamento GRATUÍTO.